Número total de visualizações de página

quinta-feira, janeiro 01, 2015

A RAZÃO E O CAMINHO


- Hoje atrasei ao serviço através da chuva. - Disse Metuliana quando questionada pelo chefe Kafuringa.
- Através? Como assim? A chuva foi o caminho ou a causa? - Kafuringa tem 4ª classe do "tempo colonial" e não deixa passar descompassos linguísticos daqueles que se dizem técnicos superiores.
- Foi mesmo a causa. O bairro ficou alegado e que na qual não deu para sair. - Respondeu ela ignorante e convicta como se fosse a dona do conhecimento.
- Sim, chefe. Atrasei através das quedas pluviométricas que caíram no Lususu. - Reforçou.
- Metuliana, pluviometria é medição da chuva. O melhor seria dizer quedas pluviais. E mais: o teu bairro terá ficado alagado e não alegado que não soa bem. Também não soa bem a expressão "que na qual". Tens de estudar regência para usar as preposições e conjunções correctas.  – Corrigiu Kafuringa.
- Chefe, eu ando a ouvir a falarem assim na rádio. Será que o chefe sabe mais do que os jornalistas Fulano e Beltrano?
- Nas rádios imperam hoje pessoas que misturam o "tu e você" que, em órgãos sérios, seria inadmissível. Vai à Livraria, compra um dicionário e uma gramática para passarmos a estudar juntos. – Recomendou Kafuringa que continuou com as suas diligências.