Número total de visualizações de página

terça-feira, fevereiro 01, 2011

A COMPLEXIDADE DO NÚMERO E SUA COMPREENSÃO

O número indica "quantidade de seres e/ou coisas". Indica também a grandeza. Na hora das contas sobre os seus feitos (factum) os políticos gostam de enumerar números que indiquem grandezas. Preferem, por isso, usar sessenta minutos a uma hora. Mais de quarenta salas a uma escola... E é, sobretudo, quando se usa o quantitativo "mais" que a coisa ganha significado e interpretação diferentes.

Estamos a viver a abertura do ano lectivo e os políticos de todos os quadrantes fazem contas ao que foi feito no defeso das aulas para reverter o ainda elevado número de crianças fora do sistema escolar. Os discurso apontam, como sempre, "números ocos".

Um certo governante anunciou: "Construímos mais de cinco escolas".
- Terão sido seis ou cinco escolas e meia? (inexiste meia escola)
- Quantas salas terá cada uma das "mais de cinco" escolas e qual o universo de alunos a acolher?

E alguns dos jornalistas embarcam na mesma conversa intencionalmente codificada sem que consigam traduzir para os públicos (leitores, ouvintes e ou telespectadores) o verdadeiro significado dos números e a verdadeira mensagem do interesse do destinatário.

Só uma pergunta: Importa mais saber o número de escolas construídas ou o número de salas, localização e o universo de alunos que possam albergar?