Número total de visualizações de página

segunda-feira, março 03, 2008

COLÓNIA DE ANGOLA: 400 ANOS SEM GOVERNO FEMININO



Da história escrita de Angola consta que nunca o território teve um governo liderado por uma mulher.

Enquanto colónia, Angola passou pelas seguintes etapas: Doação Portuguesa a Paulo Dias de Novais (1 de Fevereiro de 1575 - 1589), Colónia da Coroa na África Ocidental Portuguesa (1575 -1646), Soberania Holandesa na África Ocidental Holandesa (1641-1648), Soberania Portuguesa (1648-1885), Colónia Portuguesa da África Ocidental (1885-1914), Colónia de Angola (1914-1951), Província Ultramarina Portuguesa de Angola(1951-1975) e República Popular de Angola (1975 ao momento),

Da lista de governadores, a partir de 1575 com Paulo Dias de Novais como donatário da coroa até 1975, contam-se mais de 145 governadores lusos e 4 juntas sem que uma mulher fosse elevada à categoria de governadora da colónia.

No primeiro período a colónia era uma doação a Paulo Dias de Novais (São Paulo de Assunção de Loanda). Seguiu-se o período conhecido como Colónia da Coroa na África Ocidental Portuguesa em que esteve à frente do território Luis Serrão, sucedido por mais 19 governadores até que Luanda foi ocupada por Holandeses que nomearam dois governadores, enquanto uma junta nomeada pela coroa portuguesa lhes fazia oposição. Estávamos no ano de 1646.

Foram Directores (governadores) holandeses Pieter Moorthamer e Cornelis Ouman.

Salvador Correia de Sá e Benevides, oriundo do Brasil retoma a soberania portuguesa em 1648, sendo sucedido por outros 69 governadores e 4 juntas. Foi ultimo governador deste período Francisco Joaquim Ferreira do Amaral com o título de Governador-Geral, inaugurando ainda o período em que o território passou a designar-se Colónia Portuguesa da África Ocidental em 1885. Dezassete governadores lhe sucederam no cargo até chegar José Maria Mendes Norton de Matos em 1914 que inaugura no mesmo ano uma nova era.

O território passaria a chamar-se então Colónia de Angola. Estávamos em Agosto, início da Primeira Guerra Mundial. Outros 22 governadores sucederam a Norton de Matos que teve um segundo mandato de 1921 a 1924 com a designação de Alto Comissário Geral, até 1951 com José Agapito de Silva Carvalho (Alto Comissário e Governador-Geral) quando se inaugura nova designação para o território.

A província Ultramarina de Angola teve como primeiro Governador José Agapito de Silva Carvalho secundado por Manoel de Gusmão Mascarenhas Gaivão. Outros 14 homens sucederam-lhe na governação até 10 de Novembro de 1975. Fechou o período colonial, Leonel Cardoso.

Da independência ao momento actual, Angola teve apenas 2 Presidentes (todos homens), nenhuma Primeira-Ministra e contam-se as pessoas do sexo feminino que ocuparam cargos ministeriais.


Imagem: Rainha Jinga Mbandi

Luciano Canhanga